Bem vindo a Vizioli Advocacia, 24 anos de tradição e experiência na área jurídica

Data: 29/12/2016

Crise econômica, altas taxas de juros e o fantasma da inflação rondando novamente, realmente os últimos anos tem sido difíceis para os brasileiros. Segundo dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), o endividamento das famílias brasileiras aumentou 0,2 ponto percentual de agosto para setembro de 2016. Em setembro de 2015, o percentual das famílias com contas ou dívidas em atraso era de 23,1%, percentual que aumentou para 24,6% em setembro deste ano.

Se você, assim como boa parte dos brasileiros, está no vermelho deve procurar ajuda profissional ou tentar um acordo com os credores. Nós, aqui na Vizioli Advocacia, listamos algumas dicas para você realizar uma boa negociação.

Antecipe-se

Antecipe-se caso tenha uma dívida com altas taxas de juros, por exemplo, dívidas no cartão de crédito. Ao identificar que não poderá realizar o pagamento, renegocie o débito o quanto antes, isso irá evitar que você tenha uma dívida impagável no futuro.

Certifique-se que terá condições de pagar

Primeiramente, você deve realizar seus cálculos, analisar quais gastos supérfluos poderão ser cortados e a partir do valor encontrado realizar uma proposta de pagamento mensal a instituição financeira.

Reveja o contrato 

Em caso de dívidas de financiamento, reveja o contrato e verifique se não existe nenhuma irregularidade. Nesse ponto, conte com a ajuda de um advogado especializado em contratos bancários. Esse profissional será capaz de apontar se existem taxas extras embutidas e orientar quais medidas devem ser tomadas.

Considere a portabilidade para outros bancos

Consulte outras instituições financeiras, veja taxa de juros, prazos e outros benefícios oferecidos e de posse dessas informações proponha ao seu gerente a renegociação. Caso não entre em um acordo, considere a possibilidade de portar sua dívida para outro banco.

Não se precipite

Reflita e peça um tempo para analisar a contraproposta. É necessário verificar se realmente o que está sendo proposto é viável e se você irá conseguir a longo prazo honrar com o pagamento. Além disso, deve-se observar se valores não estão apenas alongando a dívida e se as taxas de juros da renegociação estão dentro da média praticada no mercado.

Peça ajuda

Caso não consiga de forma amigável entrar em um acordo com o banco, peça ajuda. Procure os órgãos de defesa do consumidor e consulte um advogado, entenda quais são seus direitos e deveres e tome suas decisões pautadas nas orientações desses profissionais.

Organize-se

Após renegociar sua dívida, organize-se para não perder o controle de suas finanças. Caso você não consiga honra o pagamento, será mais difícil conseguir renegociar o debito novamente.

A Vizioli Advocacia conta com profissionais experientes que poderão ajudar e orientar quais medidas devem ser tomadas em renegociações. Entre em contato conosco e agende um horário.

Equipe Vizioli Advocacia

Precisa de uma consultoria jurídica? Entre em contato conosco

Contato